sexta-feira, 26 de junho de 2009

Cid propõe 4,9% de reajuste a servidores

Percentual apresentado à categoria cobre apenas a inflação. Para professores, policiais e servidores que recebem apenas o salário mínimo, o aumento será maior, mas não foi fechado. Novas reuniões foram marcadas para discutir o reajuste

Pedro Alves
Especial para O POVO
26 Jun 2009 - 01h14min

Assim como fez em seus dois primeiros anos de governo, Cid Gomes (PSB) ofereceu ontem aos servidores do Estado um reajuste salarial que apenas cobre a inflação. O percentual apresentado este ano é de 4,9%, com um diferencial um pouco maior apenas para professores, policiais e aos que recebem um salário mínimo.

Para discutir a proposta, o governador recebeu representantes de todas as categorias de servidores estaduais em uma reunião iniciada no começo da noite de ontem e encerrada após mais de três horas de conversa, sem um acordo fechado.

O percentual de 4,9% é inferior ao que estimava até mesmo o líder do governo na Assembleia, Nelson Martins (PT), momentos antes da reunião. Falava-se em 5,2%.

Para professores, o governo estima um aumento de 12% em média (chegando até a 17% ou 18%), assim como para os funcionários que recebem salário mínimo, que deve passar de R$ 500 para R$ 560. O percentual a ser dado aos policiais não foi divulgado.

De acordo com Nelson, o percentual deste ano foi baseado em novos cálculos sobre a inflação. Para provar que o resultado dessa nova conta está correto, o Governo marcou para hoje uma reunião entre técnicos das Secretarias da Fazenda e do Planejamento e técnicos escolhidos pelos próprios servidores para discutir novamente os números.

Para a próxima quarta-feira, foi marcada uma nova reunião entre o governador e os servidores, no Palácio Iracema. Espera-se que um acordo seja então fechado para o Governo submeter à Assembleia até o dia 2 de julho a mensagem com os reajustes.

Servidores
Antes do início da reunião de ontem, o coordenador do Fórum Unificado das Associações e Sindicatos de Servidores Públicos do Estado do Ceará (Fuaspec), Jerônimo Nascimento, que também preside a Central Única dos Trabalhadores (CUT) do Ceará, afirmou que apenas cobrir a inflação era insuficiente. Os servidores pleiteiam 25% de aumento.

“Desde o primeiro dia do mandato, o governador insiste em dar apenas o percentual da inflação, que é uma obrigação constitucional. É preciso avançar”, afirmou.

Segundo Nascimento, o fórum tem cálculos que demonstram que o governo pode dar até 25% de reajuste para todos os servidores sem comprometer as finanças do Estado nem infrigir a Lei de Responsabilidade Fiscal, que limita os gastos com funcionalismo.


Fonte:
Site: O POVO Online

Por Denilson Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário