domingo, 24 de junho de 2012

Mercosul suspende participação do Paraguai de próxima cúpula do bloco

 

 

Buenos Aires, 24 jun (EFE).- O Mercosul decidiu neste domingo suspender a participação do Paraguai da próxima cúpula do bloco, que será realizada na próxima sexta-feira na Argentina e na qual serão discutidas que medidas tomar em relação ao país após o impeachment de Fernando Lugo.
Leia também:
Lugo convoca "gabinete pela restauração democrática" no Paraguai
Chávez ordena retirada de embaixador do Paraguai e interrompe envio de petróleo

Lugo pede volta da democracia no Paraguai e irá ao Mercosul
Brasiguaios vão pedir a Dilma que reconheça Franco

Em comunicado conjunto, Argentina, Brasil e Uruguai anunciaram sua decisão de "suspender o Paraguai, de forma imediata e por este ato, do direito a participar da 43ª Reunião do Conselho de Mercado Comum e Cúpula de Presidentes do Mercosul".

O bloco sul-americano, do qual o Paraguai é sócio fundador, também vetou a participação do Paraguai das reuniões preparatórias para a cúpula do Mercosul, que serão realizadas na cidade argentina de Mendoza.

A medida foi adotada, segundo argumenta a declaração, em consideração ao Protocolo de Ushuaia sobre Compromisso Democrático no Mercosul, assinado em 24 de julho de 1998, e que determina "a plena vigência das instituições democráticas" como "condição essencial para o desenvolvimento do processo de integração".

No comunicado, Argentina, Brasil e Uruguai e os países associados Chile, Peru, Venezuela, Bolívia, Equador e Colômbia expressaram a mais "enérgica condenação à ruptura da ordem democrático ocorrida na República do Paraguai, por não ter sido respeitado o devido processo" no julgamento político de Lugo, destituído na sexta-feira passada.

A declaração afirma ainda que os chefes de Estado considerarão na próxima sexta-feira, em Mendoza, novas "medidas a serem adotadas". EFE

Nenhum comentário:

Postar um comentário