segunda-feira, 10 de abril de 2017

TEMER PROPÕE MENOR AUMENTO DO SALÁRIO MÍNIMO EM 16 ANOS, DIZ HUMBERTO

Pernambuco 247 - O líder da Oposição no Senado, Humberto Costa, criticou a proposta apresentada pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, de aumento do salário mínimo para o ano que vem. O novo valor, que será incluído na proposta da Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) para 2018, é de R$ 979. O incremento é de apenas 4,48% maior do que o salário atual. Hoje, o mínimo está em R$ 937.
"A gente sabe que, nos governos de Lula e Dilma, houve uma preocupação com o aumento real do salário mínimo, com a garantia de que o trabalhador brasileiro, aos poucos, conseguisse ter um poder de compra maior para que pudesse ter suas coisas, melhorar de vida. E isso ajudou e muito a economia brasileira crescer. Num momento em que o País vive uma recessão, que milhões estão desempregados, Temer escolhe mais uma vez como alvo de cortes o trabalhador", afirmou Humberto.
Cerca de 45 milhões de pessoas no Brasil ganham o salário mínimo. Para chegar ao novo valor, o governo Temer adotou uma base de cálculo diferente da que era usada nos governos Lula e Dilma, que garantia o ganho real. O novo modelo tem como base a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).
"Temer acabou com política de combate às desigualdades e de valorização do capital humano. O aumento real para os trabalhadores que ganham o mínimo sempre foi muito mais do que apenas um incremento no cálculo. Tem a ver com dar qualidade para as vidas das pessoas, garantir dignidade e fazer a roda da economia girar. Agora, estamos vendo mais um retrocesso. Na gestão de Fernando Henrique, o salário era tão baixo que quem recebia o mínimo já se encaixava na linha da pobreza. Os governos do PT conseguiram mudar esta realidade, mas Temer está promovendo uma grande volta ao passado", salientou o líder oposicionista.
http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/289649/Temer-prop%C3%B5e-menor-aumento-do-sal%C3%A1rio-m%C3%ADnimo-em-16-anos-diz-Humberto.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário