quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

JANOT PEDIRÁ FIM DE SIGILO DE PARTE DAS DELAÇÕES

Foto: João Américo /Secom/PGR 247 - Em reunião com senadores de oposição, o chefe de gabinete do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Eduardo Pelella, afirmou que o Ministério Público Federal pedirá o fim do sigilo de apenas uma parte das delações dos executivos e ex-executivos da Odebrecht.
O encontro ocorreu quando os parlamentares foram até a sede da Procuradoria-Geral da República para protocolar uma representação contra a nomeação do ministro Moreira Franco na Secretaria-Geral da Presidência.
Na reunião, o procurador lembrou que o ministro do STF Teori Zavascki, que era o relator da Lava Jato na Corte, entendia que a abertura era obrigatória quando a denúncia era recebida e os investigados se tornavam réus. "Mas, nessa situação de peculiaridade, do caso envolvendo muito gente, para não termos aquela ansiedade, parece que talvez o procurador-geral já antecipe um pouco esse pedido, que só vai ser levantado quando o ministro (Edson Fachin) decidir e se decidir ", disse o procurador, em referência ao novo relator no STF das ações envolvendo a operação.
Pelella, que auxilia Janot nos trabalhos da Lava Jato envolvendo políticos, disse que o sigilo das investigações é útil para o Ministério Público, mas é um "grande ônus" porque custa tempo e dinheiro. "São 77 colaboradores, 950 depoimentos. Para dar tratamento sigiloso disso, precisamos restringir o número de pessoas que têm acesso, isso custa tempo, tem pouca gente para trabalhar."
Parlamentares da oposição e da base cobram que os depoimentos sejam tornados públicos o quanto antes com o argumento de que isso "facilitaria" as investigações e evitaria vazamentos seletivos, o que também tem preocupado o governo de Michel Temer.
http://www.brasil247.com/pt/247/poder/279296/Janot-pedir%C3%A1-fim-de-sigilo-de-parte-das-dela%C3%A7%C3%B5es.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário