quarta-feira, 26 de julho de 2017

Vozes do Globo descobrem o óbvio: o golpe que eles apoiaram quebrou o Brasil


247 – Nenhum veículo de comunicação tem tanta responsabilidade pelo golpe de 2016, que arruinou a economia e a imagem do Brasil, como o Globo.

No entanto, com mais de um ano de atraso, três dos principais colunistas do jornal dos Marinho agora descobriram a fria em que colocaram o Brasil.

Elio Gaspari, que chegou a lançar o "Fica Temer", agora diz que Henrique Meirelles é um engodo. Eis abaixo um trecho de seu artigo:

Temer deu a Meirelles quase toda a autonomia que ele pediu, mas o ministro não entregou os empregos e a perspectiva de crescimento que prometeu. Entrou no governo oferecendo um aumento de 1,6% para este ano e elevou o balão para 2%. Tudo fantasia, hoje o FMI espera 0,3%.

O remédio de Meirelles foi aumentar um imposto. Faça-se justiça ao doutor registrando que ele nunca se comprometeu a não aumentá-los. O seu problema é outro. Ele lida com essas taxações como se fossem uma arma para punir uma sociedade que é obrigada a pagar porque ele e seu presidente não fazem o serviço que prometem.

Miriam Leitão, que disseminou a farsa das "pedaladas", agora vê o Brasil à beira de um apagão fiscal. Confira abaixo um trecho de sua coluna:

O risco de o governo não conseguir cumprir a meta é real. A situação é dramática. Para não parar, o governo precisa de, no mínimo, mais R$ 10 bilhões e receber tudo o que programou. Uma das receitas esperadas está no meio de uma grande briga na Justiça: a venda das hidrelétricas da Cemig, cujo valor previsto é de R$ 11 bilhões. Há ministérios que têm recursos para apenas dois meses.

Os cortes estão ocorrendo nos investimentos, mas já não há mais o que cortar. No ano passado, o investimento do setor público federal foi de R$ 65 bilhões, e em grande parte foi para pagar despesas feitas em anos anteriores. Este ano, o valor total dos investimentos está em R$ 35 bilhões. Em condições normais, o governo deveria estar investindo mais para sair da recessão, mas ele está cortando as despesas já previstas. Esta não é uma situação normal: o país entrou numa recessão no meio de uma escalada da crise fiscal. E não pode simplesmente elevar a previsão de déficit porque isso agravaria a crise de confiança.

Merval Pereira, que batalhou dia e noite pelo golpe, acusa Temer de ampliar o rombo fiscal com a compra de deputados. Confira abaixo um trecho de seu artigo:

O plano de demissão voluntária do serviço público, anunciado como decisão de governo, foi rebaixado a uma simples proposta em estudo, e não seria surpresa se não saísse do papel, fortalecendo a posição de Meirelles, que vê nesse instrumento uma medida paliativa sem grande futuro.

Paradoxalmente, para um governo que precisa reduzir o gasto, o presidente Michel Temer está à frente de barganhas nos bastidores para obter votos suficientes para matar a denúncia da Procuradoria-Geral da República. Essas barganhas aumentam os gastos, e podem significar a derrota do projeto da equipe econômica.

A questão, agora, é: quando os três vão pedir desculpas?

Fonte: https://www.brasil247.com/pt/247/economia/308337/Vozes-do-Globo-descobrem-o-%C3%B3bvio-o-golpe-que-eles-apoiaram-quebrou-o-Brasil.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário