segunda-feira, 16 de março de 2015

O dia da infâmia golpista

 

Por Miguel do Rosário, postado em março 15th, 2015 | 197 comentários

CAJdKD4WcAI0Yok


CAJfIaxWUAAmy2W


CAJaJvfUUAAdKgx


CAJIE4pWEAAzrUk


CAJJ5szXIAA2VrO


ScreenHunter_5572 Mar. 15 12.43


CAJfwRFWoAA9tIZ


CAJiEGwWgAA9L4u


CAJnoH4WUAAb-DI


CAJpm79XEAAyW9e


nazismo

Repare no alto da foto. Até símbolo nazista apareceu, ameaçando o “mundo”.


CAJySv8WMAALzTU


CAJzbfTWEAAHiM8


Hoje todos os golpistas se reúnem.

As primeiras imagens que chegam mostram que a coisa vai ser tão feia como sempre. As fotos nesse post são todas de hoje.

“Pena de morte!”, “Minha esperança está nos militares de direita!”, “Intervenção militar já!”, “Chega de Paulo Freire!”.

Os Bolsonaros, pai e filho, são seus grandes líderes.

Qualquer manifestante que apareça com alguma bandeira genuinamente popular, como a luta pela moradia, é imediatamente agredido, xingado e expulso.

Ódio, palavrões, desrespeito, truculência.

Parece que abriram os portões de algum hospício infernal.

Integralistas, militaristas, neo-nazistas, privatistas.

O exército de zumbis criado pela mídia.

Além de um bocado de inocentes, marchando confusamente ao lado daquelas bestas-feras.

Será um dia de histeria midiática, excitada com a possibilidade de repetir o que fizeram ao final de março de 1964, quando a imprensa, agindo igualzinho hoje, convocou manifestações que tomaram conta de São Paulo e Rio de Janeiro.

A direita botou milhões de pessoas na rua naquele fatídico março.

Muita gente foi iludida, enganada.

O grande Sobral Pinto estava lá, nas manifestações golpistas de março de 1964.

Ulisses Guimarães também.

Alberto Dines.

Depois, todos esses perceberam o erro que cometeram.

Não é assim que funciona a democracia.

Não se pode eleger um presidente e depois, só porque não se gosta dele, exigir-lhe a saída.

Não gosta da Dilma?

Façam reuniões políticas, unam-se a partidos, e trabalhem para elegerem mais pessoas de seu partido em 2016, quando haverá eleições municipais, e em 2018, quanto teremos novas eleições para presidente da república.

Esperemos, porém, que as marchas de hoje sirvam ao menos para acordar o governo de sua apatia política.

O governo precisa recuperar a iniciativa.

Precisa reconhecer que tem adversários na mídia, e apontá-los publicamente, esclarecendo a população.

Encerro o post com uma canção de Jorge Benjor (dica de uma colega de twitter), para relaxar neste domingo sombrio, cheio de reverberações de um passado que achávamos morto e enterrado.

Não está morto, nem enterrado. Sobretudo porque os que patrocinaram as marchas de março de 1964, são os mesmos que as patrocinam agora.

http://www.ocafezinho.com/2015/03/15/o-dia-da-infamia-golpista/

Nenhum comentário:

Postar um comentário