quarta-feira, 30 de abril de 2014

Ministro da Fazenda diz que Brasil conseguiu reduzir desemprego mesmo com crise internacional

Para Mantega, país conseguiu manter o estado de bem estar social, gerando emprego e reduzindo a desigualdade de renda

publicado: 28/04/2014 18:09 última modificação: 28/04/2014 18:09

Itens relacionados

Brasil deve adotar medidas para estimular exportação de veículos à Argentina, diz Mantega

Mercado melhora humor e agora prevê crescimento maior do PIB em 2014, diz Focus

Passagens aéreas puxam queda da inflação em todo o País

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que o Brasil foi um dos poucos países que conseguiu reduzir o desemprego em meio à grave crise da economia internacional. “Mesmo durante os cinco anos da crise, conseguimos manter o estado de bem estar social, gerando emprego e reduzindo a desigualdade de renda”, ressaltou ao participar da 4ª edição do Seminário Revista Brasileiros, em São Paulo. 

Ao avaliar a atual situação da economia brasileira, nesta segunda-feira (28/04), Mantega frisou que o Brasil se saiu melhor da recente crise financeira, iniciada em 2008, que das anteriores. “Hoje o Brasil está preparado para a retomada do crescimento da economia, que já está ocorrendo. O que tem puxado a economia para baixo são os fatores externos”, justificou.

O ministro voltou a dizer que o grande objetivo da política econômica é melhorar o padrão de vida da população. “O Brasil é um dos poucos países onde a qualidade de vida vem melhorando para a grande maioria da população. Entre 2003 a 2013, por exemplo, a renda per capta cresceu 29,3%”. 

Solidez Fiscal

Durante sua apresentação sobre Rumos da Economia Brasileira, Mantega reafirmou o compromisso do governo em manter a solidez fiscal neste e nos próximos anos. De acordo com ele, o país mantém sólidos os fundamentos fiscal e monetário. “Na parte fiscal, mantivemos os superávits primários para continuar com a trajetória de queda das dívidas bruta e liquida”. 

Com relação à inflação, o ministro disse que ela permanece sob controle e que isso é fundamental, pois inflação alta “prejudica tanto trabalhadores quanto investidores”. Ele ainda apontou os alimentos e as bebidas como os principais vilões da inflação. “No momento, a inflação sofre o efeito do choque dos alimentos, mas fechará o ano dentro dos limites da meta”, garantiu. 

Investimentos

Para Guido Mantega, o aumento dos investimentos, principalmente em infraestrutura, também é prioridade da política econômica. “Os investimentos serão a locomotiva do novo ciclo de expansão. A projeção é que eles cresçam em média 7% ao ano, entre 2014 e 2022”. 

Entre 2003 e 2013, os investimentos cresceram 6,1%. De acordo com o ministro, essa é uma bela taxa de expansão. “E tem gente que acha que nós descuidamos dos investimentos em favor do consumo. Isso é um equívoco. Em 2013, por exemplo, os investimentos cresceram 6,2%, enquanto o consumo, 2,3%”, comentou.

Mantega ainda falou sobre a importância do programa de concessões em infraestrutura, que nos próximos cinco vai movimentar cerca de R$ 700 bilhões. “Esse é um programa que vai dinamizar os investimentos do Brasil, reduzir custos e ampliar a oferta”.

Fonte: http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2014/04/ministro-da-fazenda-diz-que-brasil-conseguiu-reduzir-desemprego-mesmo-com-crise-internacional

Nenhum comentário:

Postar um comentário