segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Justiça suíça identifica nova conta secreta da quadrilha tucana paulista

 

Autoridades suíças identificaram uma nova conta secreta utilizada pela multinacional Alstom, pela qual passaram US$ 2,7 milhões. A suspeita é de que o dinheiro tenha sido usado para pagar propina a fim de garantir um contrato da empresa com o Estado de São Paulo na área de energia. O negócio foi fechado em 1998, durante a gestão do tucano Mário Covas.
Os detalhes da movimentação bancária serão enviados agora pelo Tribunal Federal Penal da Suíça à Justiça brasileira, que apura o caso do cartel. Segundo apuração feita na Suíça, o esquema da empresa francesa pode ter envolvido a criação de empresas de fachada em Genebra com a função de repassar propina a agentes públicos brasileiros, segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo.
Na semana passada, a Justiça suíça anunciou a descoberta de uma conta secreta do ex-chefe da Casa Civil de Covas e atual conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Robson Marinho, pela qual passaram R$ 950 mil. A verba foi depositada por Sabino Indelicato, suposto pagador de propinas por parte da multinacional.

http://www.plantaobrasil.com.br/news.asp?nID=83415

Nenhum comentário:

Postar um comentário