sexta-feira, 4 de maio de 2012

A salvação é individual


Esta semana estava me exercitando na academia de ginástica quando pude
acompanhar pela televisão (que fica ligada o tempo todo lá) uma reportagem
sobre idosos e as dificuldades que encontram para utilizar o transporte
coletivo urbano. Algumas imagens eram realmente de cortar o coração e
deixar o telespectador revoltado. Será que aqueles motoristas de ônibus
não tiveram pais? Não possuem parentes idosos que se locomovem com
dificuldade? Estão imunes à velhice? Esses foram alguns dos meus
pensamentos no momento em que assistia àquelas cenas de descaso e
indiferença. No finalzinho da reportagem, no entanto, mostraram um ou dois
heroicos motoristas que se portaram com paciência e compreensão frente às
pessoas com a agilidade comprometida pelo avançado tempo de vida e o
desgaste dos anos.
Observar essa reportagem me levou a concluir que a salvação é mesmo
individual. Vejam; as pessoas não são iguais simplesmente porque agem de
formas diferentes, e uma atitude diferente implica num outro resultado. As
nossas ações têm consequências. Seria até estranho deixar de pensar assim.
Obviamente, cada um daqueles motoristas será avaliado em separado, ainda
que fosse por uma empresa especializada em recursos humanos. O que nos faz
pensar que com Deus seria diferente?
O que tenho acompanhado hoje em dia é muita gente “indo na onda” de
outros. Optam por caminhos, às vezes, bem inadequados, somente porque o
amigo ou a amiga resolveu fazer “isto” ou “aquilo”. Deixam de pensar se é
conveniente, bom ou recomendável “esta” ou “aquela” atitude. Simplesmente
seguem a maioria. Mas, pense bem, a maioria só pode estar seguindo o
caminho mais fácil, pois o ser humano é comodista por natureza. No
entanto, o caminho mais fácil nem sempre é o melhor. Quando nos
conscientizarmos que teremos de responder individualmente por nossas
opções, talvez pensemos melhor antes de seguir o comboio. Não poderemos
dizer: “eu vim por aqui porque o Pedro veio” ou “eu fiz isso porque a
Maria também fez”. Seria ridículo, mas lamentavelmente, é isso que está
acontecendo em nosso meio.
Poucas são as pessoas que assumem seus posicionamentos depois de
refletirem a respeito. A maioria não pensa. Age instintivamente. Deixa-se
levar pelos impulsos, muitos deles sexuais ou agressivos. Não é de admirar
que a nossa sociedade esteja como está, carente de princípios e valores.
Quando acontecem coisas horríveis, muitos se perguntam: Por quê? Puxa,
está tão claro. É tão simples perceber para onde caminha uma sociedade sem
direção. Jesus disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida...” (Jo 14, 6
a). Se você não sabe para onde ir, siga o Mestre ao invés de seguir o seu
colega. Ao contrário de muitos, Jesus sabia exatamente para onde queria
ir, e ensinou como chegar até lá. A opção é sua, pois a salvação é
individual. Pense bem antes de traçar o seu destino!
Maria Regina Canhos Vicentin (e.mail: contato@mariaregina.com.br) é
escritora.
Acesse e divulgue o site da autora: www.mariaregina.com.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário