sábado, 14 de janeiro de 2012

Agricultores cearenses começam a receber sementes do Brasil Sem Miséria

 

Mais de 8,5 mil famílias dos territórios de Cariri e sertão de Crateús vão ser beneficiados com sementes de milho, feijão e hortaliças.

Por: Luciano Augusto

Um total de 4.585 famílias da região do Cariri e 4.058 de Crateús estão sendo beneficiadas com sementes de feijão, milho e hortaliças produzidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

As famílias também recebem do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), como fomento, recurso não reembolsável de R$ 2,4 mil, dividido em três parcelas. A primeira, de R$ 1 mil, poderá ser usada para investimentos na produtividade.

Além disso, os agricultores terão assistência técnica continuada, sob a coordenação do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Esta é uma das ações do Plano Brasil Sem Miséria, que já destinou sementes para agricultores familiares de Minas Gerais, Bahia, Maranhão, Piauí e Pernambuco.

Cada família cearense vai receber dez quilos de sementes de milho, cinco de feijão caupi e um kit de sementes de hortaliças. “São variedades adaptadas de acordo com as condições climáticas para terem boa produtividade. São mais tolerantes às condições ambientais da região e possuem mais resistência a doenças e pragas”, explica Aline Zacharias, analista da Gerência de Sementes e Mudas da Embrapa.

A Embrapa também distribui material didático, fôlderes e cartilhas com informações sobre produção e armazenamento das espécies. Com linguagem simples e ilustrações, dão até dicas culinárias para orientar sobre tópicos como armazenamento, de modo a que a semente seja reaproveitada na safra seguinte. Para os agentes que vão prestar assistência ao produtor, a Embrapa disponibiliza circulares técnicas.

A destinação de sementes é uma das ações de inclusão produtiva do Plano Brasil Sem Miséria. Os beneficiários têm perfil de agricultores familiares extremamente pobres, com renda mensal de até R$ 70 per capita. Para receber as sementes, as famílias precisam estar registradas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário