quinta-feira, 26 de abril de 2018

Pimenta denuncia ato abusivo de juíza por negar visita de médico a Lula


Depois de negar todos os 23 pedidos de visita a Lula feitos até ontem (24) e de exorbitar suas funções ao impedir uma comissão externa do Poder Legislativo de chegar até o ex-presidente, a juíza Carolina Lebbos deu provas nesta quarta-feira (25) de que, para ela, não há limites para afrontar a lei e, ao mesmo tempo, agir em total desacordo com o princípio da dignidade humana, basilar de todo o ordenamento jurídico. Em seu mais recente despacho, ela simplesmente negou pedido da defesa para que Lula recebesse visita de seu médico.

“É absurda essa negativa do direito de Lula ser visitado por seu médico, vamos tomar as medidas necessárias para coibir mais esse abuso”, afirmou o líder do PT na Câmara, deputado Paulo Lula Pimenta (RS), durante sessão do Congresso Nacional. Ele lembrou que o ex-presidente Lula tem 72 anos, já enfrentou um câncer e que, considerando a série de cuidados que inspiram acompanhamento médico, sua defesa solicitou a visita.

Após falar com o médico do ex-presidente, Pimenta dimensionou de maneira precisa a gravidade da decisão da juíza, apontando que, antes de Lula ser levado a Curitiba, ele foi submetido, ainda em São Bernardo, a um exame completo, que resultou na elaboração de um laudo. “Esse laudo chegou junto com o presidente em Curitiba. Lá está descrita a necessidade de Lula realizar exercícios físicos regularmente, para não perder massa muscular, além de fazer o controle cotidiano da pressão e o exame de diabetes”, relatou o parlamentar.

Pimenta detalhou ainda que, justamente por causa dessas recomendações, a defesa do ex-presidente encaminhou à Justiça solicitação para que ele possa fazer regularmente o que está prescrito no laudo e que receba visita do seu médico para dar continuidade ao acompanhamento que vem sendo feito desde o tratamento do câncer. “Por isso, essa decisão é inacreditável”, considerou o líder petista, acrescentando que a vida do presidente Lula corre risco em função dessa arbitrariedade judicial.

“A juíza Carolina Lebbos negou a visita sob o argumento de que não se caracteriza como urgência ou emergência. Como ela se acha no direito de julgar se deve ou não permitir que Lula seja visitado pelo seu médico? Quem é a juíza para saber quem pode ou não receber a visita de um médico?”, questionou Pimenta de forma indignada, ressaltando a necessidade de a Câmara dar uma resposta institucional ao desrespeito de que também já foi vítima.

Fonte: https://ptnacamara.org.br/portal/2018/04/25/lider-do-pt-deputado-paulo-pimenta-rs/

Nenhum comentário:

Postar um comentário