sábado, 16 de abril de 2016

SEM VOTOS PARA O GOLPE, CUNHA PODE ADIAR VOTAÇÃO

Valter Campanato/Ag�ncia Brasil: <p>Bras�lia - Presidente da C�mara dos Deputados, Eduardo Cunha, durante sess�o extraordin�ria para discuss�o e vota��o de diversos projetos (Valter Campanato/Ag�ncia Brasil)</p> Depois de transformar o País em vexame internacional, com seu impeachment sem crime de responsabilidade marcado para um domingo, numa votação que traz à própria segurança pública, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que ontem foi aciusado de receber mais uma propina, desta vez de R$ 52 milhões, estaria cogitando adiar a votação, por falta de votos a favor do golpe; "Chegou a um gabinete governista na manhã deste sábado a informação de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), face às notícias de que o Palácio do Planalto teria conseguido virar votos contra o impeachment, desaceleraria o ritmo das sessões de maneira a que a votação não venha a ocorrer no domingo", informa o jornal Valor Econômico; Michel Temer, que passaria o fim de semana em São Paulo, desembarcou às pressas em Brasília para tentar conter a debandada
16 DE ABRIL DE 2016 ÀS 13:19
247 – Depois de transformar o País em vexame internacional, com seu impeachment sem crime de responsabilidade marcado para um domingo, numa votação que traz à própria segurança pública, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que ontem foi aciusado de receber mais uma propina, desta vez de R$ 52 milhões, estaria cogitando adiar a votação, por falta de votos a favor do golpe.
"Chegou a um gabinete governista na manhã deste sábado a informação de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), face às notícias de que o Palácio do Planalto teria conseguido virar votos contra o impeachment, desaceleraria o ritmo das sessões de maneira a que a votação não venha a ocorrer no domingo", informa o jornal Valor Econômico (leia aqui a íntegra).
Michel Temer, que passaria o fim de semana em São Paulo, desembarcou às pressas em Brasília para tentar conter a debandada (leia aqui). No entanto, ele vem tendo dificuldades para segurar os votos a favor do golpe. Depois de uma hora, o deputado Givaldo Carimbão saiu do Jaburu prometendo defender a democracia (leia aqui).
O golpe brasileiro foi manchete de ontem do The New York Times, maior jornal do mundo, que disse que a presidente Dilma, honesta, corre o risco de ser cassada por corruptos como Cunha (leia aqui).
http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/226414/Sem-votos-para-o-golpe-Cunha-pode-adiar-vota%C3%A7%C3%A3o.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário