sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

MÍDIA MUNDIAL ESTÁ DE OLHO EM SUBSTITUTO DE TEORI


Da Rádio França Internacional - A morte do ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), na queda de um avião em Paraty (RJ) nesta quinta-feira (19), tem forte repercussão na imprensa internacional. Da Austrália à Argentina, passando pela Europa, os jornais destacam o papel fundamental de Zavascki nas investigações de corrupção na Petrobras e observam o substituto que será indicado pelo presidente Michel Temer. O jornal australiano The Sidney Morning Herald diz que "Zavascki, de 68 anos, havia examinado nos últimos dias testemunhos explosivos de executivos do grupo de engenharia Odebrecht, que implicariam centenas de políticos em um escândalo envolvendo propinas em contratos de empresas estatais". O britânico Financial Times (FT) afirma que a morte de Zavascki "pode minar seriamente a investigação na companhia petrolífera". Um advogado paulista ouvido pelo FT, que pediu para não ser identificado, declara ao diário britânico que o presidente Michel Temer irá nomear um novo juiz para o STF e comenta: "Esta é uma oportunidade que ele não teria de outra forma", explica. "Isso pode levar a uma guinada de 180 graus na investigação", afirma o advogado. A fonte relata que o Senado deverá aprovar o novo juiz do Supremo e, com tantos políticos investigados na Casa, "isso poderia enfraquecer toda a operação". O advogado paulista aponta dois nomes que Temer poderia propor para a vaga deixada por Zavascki: "o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, amigo pessoal do presidente e que não esconde a ambição de ser nomeado para o STF ou Ives Gandra Martins Filho, ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST)". Guinada perigosa para o futuro da Lava Jato O diário espanhol El País diz que a morte do relator da Lava Jato "gera mais uma guinada na intrincada novela da crise política brasileira e criou um imbróglio jurídico-político para a operação, para o presidente Michel Temer (PMDB) e para a presidenta da mais alta Corte brasileira, Cármen Lúcia". Neste cenário de perplexidade, acrescenta El País, "haverá pressão para que Cármen, com poder a seu dispor para escolher um nome do tribunal para substitui-lo na investigação, e Temer, que indicará um novo nome para o Supremo, tomem decisões rápidas". Para o site de informação francês L'Obs, a morte de Zavascki é conveniente para muita gente no Brasil. "O juiz morto estava no comando da parte política do escândalo de corrupção na Petrobras, que abalou toda a classe política brasileira e os mais poderosos grupos de construção do país, que formaram um cartel e pagavam propina à gigante estatal de petróleo", explica o L'Obs. A agência italiana de notícias Ansa destacou em manchete: "Filho de Teori relatou ameaças: 'se algo acontecer, vocês sabem onde procurar'", detalhando que Francisco Prehn Zavascki chegou a escrever em seu perfil no Facebook um post sobre possíveis ameaças contra a família. Nos Estados Unidos, o The New York Times destacou o papel central desempenhado pelo ministro "na investigação de casos de corrupção maciça na maior nação da América Latina". O argentino El Clarín lembra que "a equipe que trabalha com Zavascki faria uma revisão, entre 20 e 27 de janeiro, de cerca de 900 depoimentos de 77 executivos e funcionários da Odebrecht que negociaram delações premiadas". O texto do Clarín informa que existem acusações contra o presidente Michel Temer e outros políticos. Cinco pessoas morreram no acidente aéreo. http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/276163/M%C3%ADdia-mundial-est%C3%A1-de-olho-em-substituto-de-Teori.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário