quarta-feira, 29 de abril de 2015

Após denúncia, Cunha demite chefe de informática da Câmara

 

:

247 – O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), demitiu nesta terça-feira 28 o chefe da área de informática da Casa, Luiz Antônio Souza da Eira. A demissão ocorreu depois de a Folha de S. Paulo ter publicado uma reportagem que aponta que registros eletrônicos oficiais mostram Cunha como "autor" de dois requerimentos citados como suspeitos na Operação Lava Jato.

Oficialmente, Cunha disse ter exonerado o diretor porque funcionários do Cenin (Centro de Informática) da Câmara não estavam cumprindo as 40 horas semanais de trabalho exigidas pela Casa. O deputado, que tem o nome citado na Lava Jato, sempre negou envolvimento com os requerimentos, que, segundo o doleiro Alberto Youssef, teriam sido usados por ele para chantagear uma fornecedora da Petrobras a retomar pagamentos de propina.

Os requerimentos foram protocolados na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle, em 2011, e pediam informações ao Tribunal de Contas da União (TCU) e ao Ministério de Minas e Energia sobre contratos das empresas Toyo e Mitsui com a Petrobras. Cunha revelou em depoimento à CPI os requerimentos eram de autoria da deputada Solange Almeida (PMDB-RJ).

Clique aqui e confira um dos requerimentos. Para visualizar o nome de Eduardo Cunha, clique com o botão direito do mouse e salve o arquivo em seu computador. O "autor" aparece quando buscamos mais informações no arquivo, como na imagem abaixo.

Abaixo, reportagem da Agência Câmara:

Cunha diz que Câmara vai investigar se houve fraude no sistema de informática
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, informou na tarde desta terça-feira (28) que, após verificação no sistema de computadores da Casa, ficou claro que o registro que aparece no seu nome é de 30 dias após a data do requerimento registrado pelo gabinete da ex-deputada Solange Almeida (PMDB-RJ).

Reportagem publicada hoje pela Folha de São Paulo aponta Eduardo Cunha como o autor de um dos dois requerimentos apresentados em 2011, pela então deputada Solange Almeida, que pediam informações ao Tribunal de Contas da União e ao Ministério de Minas e Energia sobre contratos das empresas Mitsui com a Petrobras. Cunha e a deputada negaram as informações da reportagem.

Eduardo Cunha disse que acha "suspeito" que o único documento registrado com o nome de parlamentar é o dele, os outros todos que constam nos arquivos da Câmara são registrados com o nome do assessor que faz o registro. Segundo ele, isso pode sugerir que tenha havido fraude no sistema de informática, o que está sendo investigado.

Intimidação
Em delação premiada nas investigações da Operação Lava Jato, que apura corrupção na Petrobrás, o doleiro Alberto Youssef afirmou que o objetivo dos pedidos de informação dos requerimentos era intimidar a empresa Mitsui e forçá-la a voltar a pagar propinas. A informação foi desmentida, em seguida, pelo presidente da Câmara à CPI da Petrobras.

Investigação
Eduardo Cunha informou que o diretor-geral da Câmara está conduzindo uma investigação para saber o que ocorreu com os documentos. "Eu sei que o fato concreto é a prova que o requerimento foi feito pela deputada Solange, está certificado pelas máquinas que foram autenticadas e entregues a vocês. E o fato que é a base da matéria de hoje da Folha de São Paulo é um documento de 30 dias depois do requerimento da deputada Solange. Isso é o fato, o resto nós vamos investigar."

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/178849/Após-denúncia-Cunha-demite-chefe-de-informática-da-Câmara.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário