segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Não vão se meter a besta com Lula


Ricardo Stuckert

Todo mundo quer prever o futuro. Há muitos que dizem, inclusive, saber o que vai acontecer no futuro, como se ele já estivesse pronto, faltando só chegarmos até ele. E outros tantos acreditam nisso.

   Eu acho que a melhor forma de prever o futuro é conhecer o passado.

   Por exemplo: todo mundo quer saber se o Lula um dia vai ser preso.

   E eu digo, sem medo de errar: não, não será.

   Ninguém me contou, não tenho nenhuma intimidade com algum influente membro do Poder Judiciário, não é informação de bastidor; é uma convicção baseada em acontecimentos do passado semelhantes a esse.

   O que estamos assistindo é a tentativa da derrocada política de Lula. Esses julgamentos curitibanos são os ataques que pretendem ser preâmbulo do seu Waterloo.

   Cinco dias depois de perder a única batalha da sua vida Napoleão declarou, ao abdicar ao título de Imperador da França que ele mesmo se deu:

   “Minha vida política expirou”.

   Então vamos examinar o que aconteceu depois de Waterloo – para tentar adivinhar o que vai acontecer depois de Lula ser destronado – com Napoleão Bonaparte.

   Claro que Lula não é general, nunca disparou um tiro, não invadiu os países vizinhos quando esteve no poder; mas, tal como Napoleão é um herói popular  e tal como ele é combatido pela elite da sua época.

   Ou seja: o que aproxima Lula de Napoleão é que ambos são tratados de “bandidos” pela elite e são adorados pelos mais humildes como seus protetores. Não deve ser por acaso.

   Napoleão era um mito em vida. O seu traslado de um navio para outro que iria levá-lo para o desterro na ilha de Santa Helena, em pleno mar, foi presenciado por uma centena de pessoas. Um dos barcos foi a pique e duas mulheres, tia e sobrinha, ficaram na “sepultura úmida”, como escreveu um jornal da época.

   Então, vamos lá. Depois de Waterloo e depois de renunciar ao trono, Napoleão entregou-se aos ingleses.

   Acusado de incendiar a Europa, difamado e caluniado com menos vigor que Lula só porque naqueles dias não existia uma Rede Globo europeia, Napoleão estava derrotado, à mercê da vontade dos vitoriosos e daquele de quem tomara o trono 100 dias antes: Luiz XVIII.

   Franceses, ingleses e alemães podiam fazer com ele o que quisessem. Torturar, enforcar, fuzilar – especialmente Luiz XVIII, o que tinha mais motivos para se vingar de Bonaparte.

   E o que aconteceu? Trataram-no de maneira elegante a bordo do navio, com todas as deferências e deixaram que levasse nove criados para o exílio, ao lado de alguns amigos para amainar a sua solidão.

   Claro, levaram todo o seu dinheiro e proscreveram todos os Bonaparte de todos os territórios franceses do mundo, mas os franceses sequer chegaram perto dele e os ingleses o despacharam para o exílio, mas ninguém lhe deu um tapa sequer.

   É o que deve acontecer com Lula. Vão impedir que ele concorra, disso não tenho dúvida, mas nunca vão colocar a mão nele.

   Napoleão foi exilado em Santa Helena, Lula será exilado da política.

   Mas não vão se meter a besta com ele.

   O medo da reação do povo é maior que o desejo de vingança.

Fonte: https://www.brasil247.com/pt/blog/alex_solnik/310318/N%C3%A3o-v%C3%A3o-se-meter-a-besta-com-Lula.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário