quinta-feira, 23 de junho de 2016

Tijolaço: PF vira instrumento de marketing político

Rovena Rosa/ Agência Brasil: Jornalista Fernando Brito questiona a necessidade de “fuzileiros” na porta da sede do PT, "posando para fotos junto do toldo com a marca do partido", às 6h da manhã desta quinta, na deflagração da Operação Custo Brasil; "É assim que a Polícia Federal quer ser vista como uma instituição qualificada e eficiente, quando se porta como uma tropa de choque? Qualquer que seja a razão da operação na sede petista – como seria na de qualquer partido – não há nenhuma razão para transformá-la num cenário de guerra", afirma ele
23 de Junho de 2016 às 15:57
Por Fernando Brito, do Tijolaço
O que a Polícia Federal esperava encontrar de resistência à busca e apreensão da sede do PT em São Paulo?
Brigadas bolivarianas armadas, prontas a resistir?
O que fazem aqueles “fuzileiros” na porta, posando para fotos junto do toldo com a marca do partido, onde não há viv’alma, como não deveria haver viv’alma num escritório às seis da manhã?
Não deu para convocar especialmente o “Japonês” para vir, com sua tornozeleira, montar guarda ali na porta?
É assim que a Polícia Federal quer ser vista como uma instituição qualificada e eficiente, quando se porta como uma tropa de choque?
Qualquer que seja a razão da operação na sede petista – como seria na de qualquer partido – não há nenhuma razão para transformá-la num cenário de guerra.
Nenhuma razão, senão a de produzir material para transformar investigação em linchamento político.
Foi nisso que deu a “autonomia” – não de investigação, mas de comportamento – dada nos longos anos de comportamento leniente com que se tratou, episódio após episódio, a marquetagem com a PF.
Numa pataquada.
Não sou e nunca fui petista. Mas quando se faz isso com os partidos políticos, faz-se com a democracia.
http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/239994/Tijolaço-PF-vira-instrumento-de-marketing-político.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário