segunda-feira, 23 de maio de 2016

APÓS ÁUDIO DE JUCÁ, PV DEIXA BASE DO GOVERNO TEMER

: Em reunião nesta segunda (23), o comando nacional do PV decidiu pela postura de independência em relação ao governo interino de Michel Temer (PMDB); a cúpula nacional da legenda, contudo, decidiu que a nomeação do deputado federal Sarney Filho para o Ministério do Meio Ambiente foi uma escolha pessoal do presidente interino e, portanto, ele poderá permanecer no cargo; o senador Álvaro Dias (PV-PR) defendeu a saída do governo; "Nesta circunstância, mais importante que ocupar um cargo no governo é exercer a fiscalização. O país necessita nesta hora de fiscais, porque a cultura política brasileira é a do adesismo fácil e é o que se verificou nos últimos dias com muitos correndo desesperadamente para a sombra do poder", criticou
23 DE MAIO DE 2016 ÀS 21:14
247 - Em reunião nesta segunda-feira (23), o comando nacional do PV decidiu pela postura de independência em relação ao governo interino de Michel Temer (PMDB). No encontro, foi defendido ainda o licenciamento do ministro Sarney Filho do partido caso ele decida seguir à frente do Ministério do Meio Ambiente. A cúpula nacional da legenda, contudo, concluiu que a nomeação do deputado federal foi uma escolha pessoal do presidente interino e, portanto, não cabia a deliberação.
O pedido de licença do ministro chegou a ser defendido na tribuna do Senado Federal por Álvaro Dias (PV-PR). Segundo ele, o PV não apoiou a chapa vencedora nas eleições presidenciais de 2014 e, portanto, deve seguir a fazer oposição a Michel Temer.
"Nesta circunstância, mais importante que ocupar um cargo no governo é exercer a fiscalização. O país necessita nesta hora de fiscais, porque a cultura política brasileira é a do adesismo fácil e é o que se verificou nos últimos dias com muitos correndo desesperadamente para a sombra do poder", criticou.
Em linha diferente, o líder do PV na Câmara dos Deputados, Evandro Gussi (SP), afirmou que o partido continuará apoiando o trabalho de Sarney Filho no governo federal. Ele ressaltou que não foi a legenda quem indicou o ministro e acrescentou que a sigla continuará votando a favor de temas de interesse do país.
O partido possui bancadas pequenas tanto na Câmara dos Deputados como no Senado Federal: seis deputados federais e apenas um senador.
O Palácio do Planalto reconheceu que a decisão do PV é irreversível, mas atua para evitar a saída de Sarney Filho do Meio Ambiente e o afastamento do partido do governo federal, sobretudo diante da preocupação em aprovar no Congresso Nacional medidas econômicas.
http://www.brasil247.com/pt/247/poder/233998/Ap%C3%B3s-%C3%A1udio-de-Juc%C3%A1-PV-deixa-base-do-governo-Temer.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário