sexta-feira, 19 de setembro de 2008

300 mil deixam der pobres no Ceará

Pouco mais de 300 mil pessoas deixaram de ser pobres no Ceará de 2006 para 2007. Em 2006, o grupo, que é formado por quem tem renda familiar per capita inferior a meio salário mínimo por mês, contava com 4,645 milhões de pessoas e foi reduzido para 4,342 milhões no ano passado. O resultado é positivo mas ainda insuficiente, já que mais da metade dos cearenses continua fazendo parte desse grupo. De 2006 para o ano passado, o percentual passou de 56,39% para 51,95%. No caso dos indigentes (cuja renda é de menos de um quarto de salário mínimo por mês), a queda foi de 9,32% com a redução de 29,08% da população do Estado em 2006 para 26,37% em 2007. Os dados que são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) também revelam que, no Nordeste, o número de pobres caiu 7,1%, com a redução de 29,93 milhões de pessoas, em 2006, para 27,22 milhões em 2007. No Brasil, a queda da quantidade de pobres foi ainda maior, 9,8%, já que o grupo diminuiu de 63,758 milhões para 57,511 milhões. "No Nordeste, mais de dois milhões de pessoas deixaram de ser pobres e, no Brasil, foram mais de seis milhões", afirma Flávio Ataliba, economista do Caen, da Universidade Federal do Ceará.
Por Wilson Gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário