domingo, 31 de julho de 2016

Bandeira de Mello: há uma evidente perseguição a Lula

: Jurista entre os mais respeitados do Brasil celebra a importância de petição internacional feita à ONU por Lula denunciando perseguição, violação de direitos humanos e abuso de poder do juiz Sérgio Moro, da Lava Jato; para ele, a imprensa não gosta de dizer as coisas com equilíbrio; pelo contrário, ela pretende crucificar o Lula; sobre Moro, Bandeira fulmina: “Ele é um homem, a meu ver, muito pouco habilitado para exercer a função de magistrado. A magistratura exige muito equilíbrio, muita serenidade e, sobretudo, muita imparcialidade”
247 - O jurista Celso Antônio Bandeira de Mello, advogado entre os mais respeitados do Brasil, professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, afirma em vídeo que “é óbvia a perseguição a Lula” pela Força Tarefa da Operação Lava Jato. Bandeira diz em um vídeo divulgado no Youtube (abaixo) pela Revista Fórum que a “imprensa não gosta de dizer as coisas com equilíbrio; ela, pelo contrário, pretende crucificar o Lula.”
O jurista é categórico ao afirmar que o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, vem tentando condenar Lula por todos os meios. “Porque? Eu não tenho dúvida, por que as pessoas morrem de medo de que o Lula seja candidato. Coisa importantíssima que foi essa denúncia agora, internacional. É a única coisa que pode nos valer. Para tentar salvar o país dessa fase pavorosa que ele está passando.”
Bandeira de Mello vai além e questiona com veemência a imparcialidade do juiz da Lava Jato. “Esse juiz Moro, ele é um homem a meu ver muito pouco habilitado para exercer a função de magistrado. A magistratura exige muito equilíbrio, muita serenidade e, sobretudo, muita imparcialidade. Ela não pode ser, evidentemente, uma conduta apaixonada. Mesmo que ele assuma um ar sereno – e assume –, o comportamento dele não é de um magistrado, o comportamento dele é de um acusador”, diz.
http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/246844/Bandeira-de-Mello-há-uma-evidente-perseguição-a-Lula.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário